Racha no PSL do RN é destaque em matéria nacional; dirigentes potiguares são chamados de ditadores

Deputado Coronel Azevedo já se desligou do PSL e o vereador Cícero Martins estuda sua saída

A Folha de S.Paulo deste domingo destaca o racha no PSL em âmbito nacional e situa caso a caso, dedicando atenção especial ao Rio Grande do Norte.
A matéria do jornal abre aspas para queixas do deputado estadual Coronel Azevedo e o vereador Cícero Martins.
Transcrevo:
As queixas são semelhantes no Rio Grande do Norte, onde o deputado estadual Coronel André Azevedo deixou o partido e o vereador em Natal Cícero Martins promete tomar o mesmo caminho.
Martins diz que o PSL potiguar vive um cenário de “ditadura partidária” e compara o diretório local do partido a um quartel.
“Eles agem como se estivessem no Exército, com decisões de cima para baixo. Sou uma pessoa democrática, que quer ser ouvida. Esse negócio de bater continência e dizer ‘sim senhor’ não é para mim”, afirma o vereador.
Ainda na Folha
O núcleo duro do partido é formado pelo coronel Hélio Oliveira, o general Araújo Lima e o brigadeiro Carlos Eduardo da Costa —todos são aliados do deputado federal e general da reserva Eliéser Girão.
O deputado Coronel Azevedo diz que deixou o PSL por discordar da condução do partido, mas negociou uma saída consensual: “Seguirei ajudando o presidente Bolsonaro”. Procurado, Hélio Oliveira não quis comentar as críticas.

blogdodina.com

Nenhum comentário