Arquivo X? Documento oficial revela aparecimento de OVNI próximo a Natal


Por Diego Campelo - Todo Natalense - 

Provavelmente você não sabia que a Força Aérea Brasileira registrava documentalmente possíveis aparecimentos de Objetos Voadores Não Identificados, conhecidos popularmente como OVNIs. Mais improvável ainda é que você tenha tido conhecimento do registro feito pela Aeronáutica de um OVNI em Natal, ou em região próxima à capital potiguar. Mas isso realmente ocorreu e há um documento que comprova isso: é o registro de “Ocorrência com Tráfego Hotel”, um eufemismo aeronáutico que quer dizer OVNI. O documento existe e foi elaborado pelo Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro.
O registro foi feito precisamente no dia 28 de maio de 2006. O local, por sua vez, não é preciso. O documento informa que foi visto por um piloto comercial um Objeto Voador Não Identificado “a 40 km ao Sul de Natal”. Medindo em linha reta, o avião comercial deveria estar próximo ao município de Nísia Floresta, provavelmente indo em direção a Parnamirim, para pousar no antigo Aeroporto Internacional Augusto Severo.
Local aproximado do aparecimento do OVNI (imagem: Google)
Naquele dia, um objeto em forma de luz com intensidade variante chamou a atenção do observador a bordo da aeronave VRG 2348, da antiga Varig. Não há fotos, vídeos ou qualquer tipo de ilustração, apenas o relato do piloto.
É fácil entender por que você até hoje não sabia do ocorrido. O documento era confidencial até 2010, quando uma análise do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) desclassificou o documento, ou seja, tornou-o não confidencial, de acesso irrestrito.
Documento Oficial do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA)
As informações foram recebidas pelo Segundo Sargento Básico em Controle de Tráfego Aéreo, por nome Uberlan. O piloto relatou ao sargento que naquele dia “o céu estava Kavok” e, incrivelmente, pela observação do radar “não havia nada, nenhum outro tráfego naquela área”. O termo Kavok (Ceiling and Visibility OK) é usado para dizer que há visibilidade horizontal maior que 10 km, ausência de precipitações e nuvens altas.
O que o piloto quis dizer, na verdade, foi que no momento em que avistou o OVNI dava para ver com clareza, sem nenhum impedimento, que realmente havia uma luz que o seguia naquele trajeto, mas que essa luz não era registrada nos radares, algo bastante intrigante.
Embora a história seja verídica, o documento é inconclusivo, não afirma que o objeto voador era alguma nave espacial ou coisa do tipo. Dentro de um determinado horário, o piloto do VRG 2348 (VRG significa Varig), ainda em descida, afirmava continuar avistando a referida luz, conforme consta no relato.
A luz nunca mais foi vista, mas tudo foi devidamente registrado e consta nos documentos da aviação civil brasileira o dia em que, a 40 km ao Sul de Natal, houve uma ocorrência de tráfego hotel, ou seja, Objeto Voador Não Identificado.

Fonte: www.todonatalense.com.br

Nenhum comentário