Instituto esclarece em nota que matéria publicada no Tribuna de Notícias traz informações equivocadas sobre o BPA




Foi com preocupação que a Plastivida tomou conhecimento da matéria Seu Micro-ondas Pode Estar Prejudicando Você”, publicada em 22 de outubro de 2018. A matéria traz informações equivocadas sobre o BPA, e que não condizem com a realidade. Gostaríamos de nos posicionar com relação às informações relatadas na matéria.

A Plastivida esclarece que os plásticos são atóxicos, inertes e seguros. As informações apresentadas no texto de que causa danos à saúde não condizem com a realidade. Nos Estados Unidos, as embalagens de plásticos que entram em contato com alimentos são rigidamente regulamentadas pela Food and Drug Administration (FDA). No Brasil, a mesma preocupação de se garantir produtos seguros aos consumidores se dá por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que através da Resolução RDC 105, de maio de 1999 (https://bit.ly/2vrndPA), diz: “Regulamenta as embalagens e equipamentos, inclusive revestimentos e acessórios, destinados a entrar em contato com alimentos, matérias-primas para alimentos, águas minerais e de mesa, assim como as embalagens e equipamentos de uso doméstico, elaborados ou revestidos com material plástico”.
Mais um exemplo vem da União Europeia. Em janeiro de 2015, a European Safety Authority (EFSA) emitiu relatório (https://bit.ly/2z4xVPJ) afirmando que o BPA (Bisfenol-A) não apresenta risco à saúde. Além do FDA e EFSA, outros órgãos regulamentadores têm chegado a conclusões científicas similares, tais como Health Canada – Canadá (https://www.canada.ca/en/services/health.html), Food Standards Autralia New Zeland – Austrália (http://www.foodstandards.gov.au/Pages/default.aspx) e The Janpanese National Institute of Advanced Industrial Science and Technology – Japão (https://www.aist.go.jp/index_en.html).
Bisfenol-A (BPA)- Não é uma substância presente em todos plásticos, sendo encontrado em produtos feitos de policarbonato (CDs e DVDs, por exemplo). Assim, não tem qualquer relação com os diversos produtos fabricados com outros tipos de plásticos usados em utensílios para bebês, garrafas, embalagens de alimentos, utensílios de cozinha, pratos, talheres plásticos, copos, filmes plásticos, potes de freezer e microondas (“tupperwares” e similares), entre outros.

A matéria causa confusão na relação do BPA com produtos plásticos. Ela termina por levar desinformação quanto ao tema o que gera preocupação desnecessária à população, que se vê envolta de dúvidas que sequer deveriam existir.

Em resumo, embalagens e produtos que entrem em contato com alimentos, independentemente da sua matéria prima, são avaliados e regulamentados pelos órgãos responsáveis, que atestam sua segurança à saúde humana. Os plásticos não fogem à regra e são largamente utilizados, pois trazem benefícios às pessoas – economia, proteção ao alimento, à água, oferecem segurança, higiene, bem estar e qualidade de vida.
A Plastivida atua para promover as características e benefícios dos plásticos. São produtos versáteis, inertes, atóxicos, de excelente custo-benefício, o que os fazem presentes em diversos segmentos do dia a dia das pessoas. Além disso, as entidades representam uma cadeia de fabricantes que atua sob a luz da ética, sustentabilidade e respeito às legislações vigentes no Brasil.
Sendo assim, solicitamos espaço neste conceituado veículo para a publicação da informação correta ou para discutirmos a realização de uma possível pauta, trazendo todas as informações necessárias em benefício do leitor.

No aguardo de um posicionamento, agradecemos à atenção.

Miguel Bahiense
Presidente

Do Portal: Publicamos na íntegra nota enviada ao Portal e nos colocamos a disposição do instituto para maiores esclarecimentos. 

Nenhum comentário