Nova legislação deve garantir ruas mais limpas nas eleições



As eleições de 2018 devem ser mais limpas do que as de 2014.
A esperança da Justiça Eleitoral e dos órgãos de limpeza urbanas se baseia em uma minirreforma eleitoral aprovada pelo Congresso em 2015. Na época, os parlamentares proibiram o uso de cavaletes, faixas, placas, bonecos ou qualquer outro tipo de propaganda semelhante em vias públicas.
Segundo informações da Agência Senado, as bandeiras até podem ser usadas, mas somente no horário de 6h da manhã às 22h da noite. Ademais, elas precisam ser móveis e não podem prejudicar o trânsito de pedestres ou veículos.
Quem desobedecer a norma terá um prazo estipulado para retirar a propaganda irregular. Caso a ordem não seja cumprida, o responsável poderá pagar uma multa entre R$ 2 mil e R$ 8 mil. A distribuição de folhetos, santinhos e adesivos continua permitida.
A preocupação do Congresso se fez presente, pois o recorde negativo de 2014, com a retirada de quase 300 toneladas de material de campanha em Brasília, foi muito maior do que o número registrado em 2010. Nas eleições de oito anos atrás, o Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal recolheu cerca de 120 toneladas. Agora, com as mudanças, a esperança é que o número seja ainda menor.

Nenhum comentário