Operação contra pedofilia prende quase 200 pessoas em todo o Brasil


Até o momento, 197 pessoas foram presas em uma ação integrada da Polícia Civil de combate à pedofilia deflagrada na manhã desta quinta-feira, 17. A operação, chamada de Luz na Infância 2, segue em andamento no Distrito Federal e em outros 24 estados do Brasil.

O objetivo da ação, deflagrada e coordenada pelo Ministério Extraordinário da Segurança Pública, é cumprir 579 mandados de busca e apreensão. Ao todo, 2.600 mil policiais civis participam da operação, que acontece na véspera do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado na próxima sexta-feira, 18.
Além do cumprimento dos mandados expedidos, os suspeitos também estão sendo presos em flagrante – o que ocorre quando os policiais civis identificam imagens que configuram crimes de exploração sexual de crianças ou adolescentes. A primeira parte da operação ocorreu em 20 de outubro de 2017, quando foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. Ao todo, 112 pessoas foram presas na ocasião.

Apesar da operação ter sido deflagrada nesta quinta-feira, as investigações começaram anteriormente. A Diretoria de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública colheu os dados pela internet, durante os últimos quatro meses, e identificou os alvos. “Os acusados deste tipo de delito agem às sombras da internet e devem ter suas condutas elucidadas e julgadas”, afirmou a Polícia Civil, segundo noticiou o G1.

Até o momento, já foram realizadas prisões e apreensões nos estados de Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe, além do Distrito Federal.

Pedofilia é doença e crime
A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica a pedofilia como uma doença relacionada a transtornos de preferência sexual. No Brasil, o Código Penal considera crime qualquer relação sexual ou ato libidinoso entre um adulto e um menor de 14 anos de idade.
Com base no artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente, “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente” também é considerado crime.

A Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA), do Ministério dos Direitos Humanos, disponibiliza diferentes peças de campanhas de combate à pedofilia em seu site. Para denunciar um crime envolvendo a exploração de menores, basta discar o número 100 para entrar em contato com o Disque Direitos Humanos, que funciona diariamente, 24 horas por dia.

OPINIÃO E NOTÍCIA

Nenhum comentário