Golpe no WhatsApp atinge ex-beneficiários do programa Bolsa Família


Assim que o usuário compartilha o link do golpe, ele é direcionado a uma página de cadastro, que o induz a baixar apps infectados com vírus capazes de deixar o dispositivo ainda mais vulnerável a outras ameaças hackers

Ex-beneficiários do Bolsa Família que ainda têm o cartão do programa estão sendo vítimas de um golpe do WhatsApp . De acordo com a startup brasileira especializada em aplicativos de segurança Psafe, hackers estão enviando uma mensagem prometendo o direito de sacar o valor de R$ 954.

O golpe compartilhado por meio de um link leva o usuário do WhatsApp para uma página em que ele deve responder as seguintes perguntas: “Você possui o cartão Bolsa Família?”, “Você recebe todo mês?” e “Você conhece amigos ou parentes que recebe?”.
Independente das respostas dadas, a vítima é informada de que precisa compartilhar o link recebido com 10 amigos ou 10 grupos do aplicativo de mensagens. E, assim que o usuário repassa o golpe, ele é direcionado a outra página, dessa vez de cadastro, que o induz a baixar apps infectados com vírus capazes de deixar o dispositivo ainda mais vulnerável a outras ameaças hackers.

De acordo com o diretor do dfndr lab, Emílio Simoni, a situação é preocupante, uma vez que, a cada hora, mais de 40 mil tentativas de acesso à armadilha estão sendo bloqueadas devido à popularidade do aplicativo de mensagens.  
Mas como não cair nos golpes do WhatsApp?
Para não cair em falsas promoções , especialistas destacam a importância dos usuários criarem o hábito de se certificar da veracidade de qualquer informação antes de compartilhá-la com seus contatos. Além disso, é importante utilizar soluções de segurança que contam com função de bloqueio anti-phishing, que previne contra esse tipo de tática.
Vale destacar também que na maioria das situações, as mensagens pedem que aquele que deseja receber o brinde compartilhe o conteúdo com seu grupo de amigos. A ideia é atingir sua rede de relacionamentos e fazer o golpe chegar a mais pessoas. No entanto, isso não significa que todos que receberem a mensagem pelo WhatsApp serão hackeados. A campanha maliciosa atinge apenas aqueles que efetivamente abrirem o link e seguirem o que a página determina.
Fonte: Brasil Econômico 

Nenhum comentário