Moema Tinoco: obras estão aceleradas e primeira fase será entregue até junho




As obras do Anel Viário da Região Metropolitana seguem em ritmo acelerado. Na avenida Moema Tinoco, na Zona Norte de Natal, os serviços estão em andamento e já beneficiam os moradores da região. Edinete Nascimento Soares mora nas proximidades da Moema Tinoco e diz que as mudanças são visíveis. “O governador chegou, prometeu e cumpriu. A Zona Norte está saneada, mais bonita e cada vez mais valorizada”. O pensamento dela é compartilhado com o Josenilson Pinheiro, morador da Redinha. “Robinson atendeu a grande demanda e está beneficiando todo o litoral Norte que tanto precisava dessa obra de mobilidade”.
Esses agradecimentos foram feitos pessoalmente ao governador Robinson Faria, durante a vistoria das obras na manhã desta quarta-feira (14). A primeira parada foi no viaduto da Redinha, onde as alças estão sendo implantadas. Este equipamento deve ser entregue até o mês de maio. A partir desse trecho, a avenida Conselheiro Tristão já foi construída e pavimentada. Esta primeira etapa da obra, até a entrada de Genipabu, tem previsão de entrega até junho de 2018.
“É importante acompanhar de perto os serviços para saber como as obras estão impactando a vida da população. A Moema Tinoco era esperada há mais de 20 anos e apenas agora será finalizada, ligando as zonas Norte e Sul, diminuindo o trânsito e melhorando o tráfego na Região Metropolitana da capital”, ressaltou o governador.
O segundo ponto visitado foi na Moema Tinoco, no trecho em frente ao cemitério do Pajuçara. O local era conhecido pelos constantes alagamentos e somente com esta obra, o problema está sendo resolvido. “A drenagem foi instalada e estamos fazendo a duplicação da via”, informou o diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Jorge Fraxe.
As próximas fases do projeto serão realizadas nas avenidas Tocantínea, Fronteiras e prolongamento da Moema Tinoco até a BR-101.
As obras do Anel Viário consistem na construção de viadutos, corredores de ônibus, calçadas, ciclovias e alargamento de avenidas. A obra está com 32% dos serviços executados e tem um investimento total de R$ 88 milhões, com recursos provenientes do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS), Proinveste e Orçamento Geral da União.


Nenhum comentário