Brasil já tem pelo menos 11 pré-candidatos à Presidência


A eleição presidencial de outubro já tem pelo menos 11 pré-candidatos ao Palácio do Planalto lançados oficialmente.
Nesta quinta-feira, 8, mais dois nomes foram apresentados: o do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) e o do ex-ministro Ciro Gomes (PDT).
A disputa presidencial deste ano tem sido cercada por um cenário de incerteza, o que, segundo especialistas, seria um reflexo da crise política e do fim do financiamento empresarial.
A chance de o ex-presidente Lula, o atual líder nas pesquisas, ser impedido de concorrer na eleição de outubro com base na Lei da Ficha Limpa também é apontada como um fator para a proliferação do número de candidatos.
Acredita-se, no entanto, que algumas dessas candidaturas seriam uma tentativa de os partidos políticos se cacifarem nas negociações de alianças eleitorais.
Em entrevista à Agência Senado, o cientista político Rubens Figueiredo afirmou que “o quadro está aberto. Partido grande não tem candidato forte, candidato mais forte está em partido fraco. O primeiro colocado nas pesquisas está impedido e o ‘outsider’ saiu. O governo é bom nos resultados econômicos e pessimamente avaliado. Isso tudo dá muita insegurança para se apostar em coligações agora”.
O cientista político Vitor Marchetti, da Universidade Federal do ABC, diz que já é possível projetar 18 nomes. “Nosso recorde foi em 1989, quando 22 candidatos se lançaram. A diferença é que em 1989 a descoordenação era reflexo da inauguração do regime, já 2018 é retrato de sua desconstrução”.
Entre os pré-candidatos à Presidência já anunciados oficialmente estão: Lula; Jair Bolsonaro; Geraldo Alckmin; Marina Silva; Ciro Gomes; Manuela D’Ávila; Rodrigo Maia; Álvaro Dias; João Almoêdo; Paulo Rabello de Castro; e Fernando Collor de Mello.

Nenhum comentário