Parabéns Natal "Noiva do Sol" pelos 418 anos de existência

Foto: Canindé Soares - 


Cidade do Sol e do sal; Terra dos Santos Reis; Esquina do Continente; Capital Espacial do Brasil; Trampolim da Vitória ou simplesmente Natal: das dunas, do rio, do mar. A capital do Rio Grande do Norte também tem como símbolo a sugestiva estrela de Belém, formato da Fortaleza dos Reis Magos, que “protege” a cidade, banhada pelas águas do Potengi e do Atlântico, e emoldurada de dunas por todos os lados.

A fortaleza de cinco pontas, principal atrativo histórico de Natal, remete os visitantes ao dia 6 de janeiro de 1598 quando os portugueses ali chegaram e, como que guiados pelos Magos do Oriente, conquistaram o território dos potiguares ou comedores de camarão na língua indígena. Essa história, rica em detalhes, resultou no núcleo urbano, em volta de uma capela, onde, no ano seguinte (1599), a cidade celebrou seu nascimento no dia do Natal. A conquista pôs fim ao cortejo dos franceses pelo território potiguar, mas, situada em local estratégico para os colonizadores, Natal caiu no domínio Holandês do Nordeste e, por 21 anos, foi a Nova Amsterdam das Índias Ocidentais.

História

Entre disputas envolvendo diversas nacionalidades, a localização do forte foi fundamental para a expansão do domínio português além da esquina do continente. Mais tarde, a cidade seria parada obrigatória para os pioneiros da aviação ao cruzarem o Atlântico Sul. Já na 2ª guerra Mundial, Natal foi reconhecida pelos americanos como o Trampolim da Vitória ao se tornar uma das principais bases americanas fora dos Estados Unidos. A cidade ainda abriga o Centro de Lançamento de Foguetes da Barreira do Inferno. Um Centro de Cultura Espacial, no local, é parada obrigatória para quem se dirige ao sul de Natal pela Rota do Sol, onde estão localizadas algumas das praias mais procuradas neste verão, além do maior cajueiro do mundo.

Nenhum comentário