Após retorno de Raniere, vereadores apontam volta da “normalidade” na Câmara


De volta à presidência da Câmara Municipal de Natal desde o dia 23 de novembro, após quase quatro meses de afastamento do cargo, o vereador Raniere Barbosa (PDT) tem feito, na opinião de parlamentares ouvidos pela reportagem do Jornal Agora RN, uma administração transparente e democrática. Segundo os vereadores, a Casa voltou à “normalidade”, após um período tumultuado de gestão interina na presidência.
Para Nina Souza (PEN), o presidente “voltou olhando para a frente”. “Ele está seguindo o que ele já vinha fazendo. Ele é um presidente agregador, tranquilo e que discute bem com os colegas”, destaca a líder do governo no Legislativo, acrescentando que, desde o retorno de Raniere Barbosa, uma espécie de mutirão tem sido feita na Câmara para aprovar projetos importantes, como a Lei Orçamentária Anual. “Estamos votando um volume enorme de projetos”.

O aspecto conciliador e democrático do presidente é enfatizado pelos vereadores. De acordo com Sandro Pimentel (PSOL), enquanto a gestão interina foi marcada por “inconsistência, insegurança e falta de informação”, a administração de Raniere Barbosa tem sido positiva. “Tem feito uma presidência democrática, chamado os vereadores para discutir as questões internas. Avalio de forma muito positiva”, frisa o socialista. “[Gestão interina] foi o pior período que a Câmara viveu. Muitas decisões foram tomadas de goela abaixo. É necessário abrir a gestão, mas não foi isso que aconteceu”.

O vereador Cícero Martins (PTB) também comemorou a volta da normalidade na Casa. “A gestão de Raniere está equilibrada, democrática. Ele tem conversado com os vereadores e feito uma gestão que permite que a Casa ande de forma muito mais democrática e rápida. Com relação aos dias de interrupção, a Casa não ficou dentro da normalidade. Houve um desequilíbrio na harmonia. Não que o presidente tenha sido bom ou ruim, mas é porque foi um fato que pegou todos de surpresa. Agora, estamos retomando o rumo”, afirma.

Raniere foi afastado da presidência da Câmara de Natal e do mandato de vereador no final de julho por força de decisão judicial. Ele foi alvo da “Cidade Luz”, operação que investiga um suposto esquema de desvios de recursos na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), pasta da qual o vereador já foi secretário. Ele retornou ao cargo após ter um recurso acatado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

agorarn

Nenhum comentário