Seis dicas para lidar com o transtorno de ansiedade


Cerca de 13,3 milhões de brasileiros sofrem com ansiedade atualmente, uma doença prejudicial e diretamente ligada à saúde, à vida pessoal, profissional e acadêmica de cada um. Apenas em 2016, 6,4% da população tinham esse tipo de transtorno, enquanto a média global, de acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), é de 3,9%.
Enxergado por alguns como “frescura”, o transtorno de ansiedade, que normalmente precisa do acompanhamento de especialistas, é diferente da ansiedade natural. Segundo Olivia Remes, doutoranda e pesquisadora do Departamento de Saúde Pública e Cuidados Primários da Universidade de Cambrindge, na Inglaterra, o que diferencia ambos os sentimentos é a sensação de medo e inquietação que o distúrbio promove.
Olivia Remes destaca que a ansiedade por um prazo curto ou emergência no trabalho é normal, mas quando uma pessoa se preocupa com cada pequena coisa em sua vida não é algo saudável. “Pessoas com esse transtorno se preocupam muito mais frequentemente e com mais intensidade que aquelas com uma boa saúde mental”, explica Remes.
Com o objetivo de auxiliar as pessoas com transtorno de ansiedade, Remes separou seis estratégias para enfrentar o problema – o que não exclui a necessidade da pessoa ser acompanhada, frequentemente, por um especialista.

1 – Monitore os seus pensamentos
Pessoas com transtorno de ansiedade normalmente são pessimistas, chegando ao ponto de pensar que algo de ruim vai acontecer a qualquer momento e em qualquer situação, temendo o futuro e sendo incapacitados de evitar esse tipo de preocupação. Por isso, Remes sugere não ir totalmente contra esses pensamentos, mas criar um momento livre para se preocupar com tudo.
“A literatura psicológica mostra que nossos pensamentos murcham se não os alimentamos com energia. Ao empurrar esses pensamentos para um outro momento do dia, quando você chegar no momento designado para a preocupação, eles talvez não pareçam tão confusos ou preocupantes como pareciam quando brotaram em sua mente pela primeira vez”, destaca Remes.

2 – Faça atividades físicas e pratique meditação
Treinar o corpo e a mente é outro ponto importante para conseguir lidar melhor com o transtorno de ansiedade, visto que as saúdes física e mental estão diretamente conectadas. Um estudo publicado recentemente na revista Nature, realizado pela Universidade de Nova Jersey, mostrou que duas sessões de meditação por semana e 30 minutos de atividades físicas diários reduziram sintomas depressivos nos 52 participantes da pesquisa.
Ao longo de oito semanas, além de ajudar aqueles com depressão, a prática para melhorar as saúdes física e mental também ajudam as pessoas com transtorno de ansiedade.

3 – Encontre um propósito
Existe uma máxima que diz que todos precisamos de um objetivo na vida. O médico austríaco Vikton Frankl comprovou isso quando publicou o livro “Em Busca de Sentido: um psicólogo no campo de concentração”, em 1946. A obra, além de narrar as suas experiências como prisioneiro em Auschwitz, analisa a resposta de pessoas que dividiam o campo de concentração nazista, apontando a forma de encontrar propósito no cotidiano como a melhor forma para lidar com todos aqueles acontecimentos.
Essa dificuldade de enxergar um propósito na vida é outro sintoma do transtorno de ansiedade, o que faz com que as pessoas acreditem que todo esforço feito é desnecessário. Segundo Remes, mesmo que os ensinamentos de Frankl sejam provenientes de uma situação extrema, contêm lições valiosas para os que sofrem de ansiedade.
“Quando você coloca seu foco em algo além de você, esse ato te ajuda a dar um tempo de si mesmo. Ter outras pessoas em mente é muito importante, porque torna um pouco menos penoso passar pelos momentos mais difíceis”, explica Remes.

4 – Veja o lado bom da vida
Mesmo soando incômodo quando uma pessoa nos aconselha a “olhar o lado bom da vida”, adotar essa forma de viver, com uma perspectiva mais positiva, é determinante para lidar com o transtorno de ansiedade. Se, por exemplo, algo negativo lhe chamar a atenção, é sempre indicado que procure alguma coisa positiva, mesmo que pequena, em determinada situação.
“Reconheça que esses pensamentos catastróficos que vêm à mente, que te fazem se sentir péssimo, são apenas eventos mentais que irão passar”, destaca Remes.

5 – Viva no presente
Alguns dos principais alimentos do transtorno da ansiedade são as constantes preocupações com o futuro, seja profissional ou pessoal, e as lembranças do passado. Apesar de serem pensamentos difíceis de se ter um controle, Remes destaca a importância em manter o foco no que está ocorrendo no presente.
“Estudos mostram que, quando nós vivemos no passado, revivendo memórias antigas, essa atitude nos deixa depressivos e menos felizes. Na verdade, ficamos mais felizes quando vivemos no momento presente. Se você está trabalhando, simplesmente foque naquilo que você está fazendo. Simplesmente viva no presente”, explica Remes.

6 – Busque terapia
O apoio, não somente de amigos, mas profissional também é fundamental, pois é complicado lidar com um transtorno de ansiedade sozinho. Na terapia, uma conversa franca com o terapeuta, aliado ao princípio de buscar uma postura construtiva, é de extrema importância, muito mais indicado do que o uso de medicamentos para o controle desse distúrbio.
“Em muitos casos, medicamentos não funcionam, ou funcionam apenas no curto prazo e os problemas retornam depois de um tempo”, finaliza a pesquisadora.

Nenhum comentário