Para Mineiro, cabe à Prefeitura encontrar nova área para ambulantes do Alecrim

Crédito da Foto: João Gilberto
O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) se pronunciou nesta terça-feira (10), na sessão ordinária da Assembleia Legislativa, sobre as mudanças em discussão para o comércio informal do bairro do Alecrim, que passa pela retirada dos camelôs da área onde atuam e a construção de um shopping popular. Mineiro informou que participou, na noite desta segunda-feira, de uma assembleia realizada pelo movimento #SalveoAlecrim da Associação dos Camelôs, na Avenida Presidente Bandeira.

“Eu quero aqui desmistificar a ideia que os trabalhadores informais não querem a organização do bairro”, afirmou Mineiro. “Os informais também querem que o bairro seja ordenado, que haja planejamento, porque quanto mais organizado, melhor para os trabalhadores”, ressaltou o parlamentar. Mineiro lembrou que o assunto já foi discutido no plenário da Assembleia pelo deputado Kelps Lima (Solidariedade), mas que ele também coloca seu mandato à disposição dos trabalhadores.

“Os trabalhadores do Alecrim querem que o reordenamento seja feito pela Prefeitura, e não por uma empresa privada”, disse Mineiro, lembrando que quando era vereador, participou da reordenação do comércio informal do centro da cidade, e que, como deputado, já apresentou um projeto para o Alecrim. “Mas a Prefeitura fez ouvido de mercador”, declarou o parlamentar. “É preciso esclarecer e denunciar que o projeto não está sendo feito pela Prefeitura, e sim por uma grande empresa, e o problema vai se agravando, mas a gente não vê o posicionamento do prefeito de Natal”, criticou.

Segundo o deputado Fernando Mineiro, os camelôs não podem ser retirados do Alecrim sem que haja um espaço público, destinado pela Prefeitura, para que eles continuem garantindo a sobrevivência. “O bairro foi rifado, negociado, e a empresa que será proprietária de um shopping é que terá a obrigação de criar um espaço para alugar aos ambulantes”, denunciou Mineiro, registrando solidariedade aos pequenos comerciantes. “Isso não tem cabimento porque cabe ao poder público encontrar um local para os informais exercerem seu trabalho, e não a um empresário”, concluiu o deputado.

UTI infantil
Mineiro encerrou seu pronunciamento registrando o fechamento, pelo Governo do Estado, de 8 leitos de UTIs Pediátricas e Neonatais no Hospital Santa Catarina, na zona Norte de Natal. Ele lembrou que os deputados já destinaram emendas para UTIs infantis, e criticou o Governo pelo que chamou de “incompetência em administrar essa questão”.

Nenhum comentário