Jacó Jácome repudia exposições que “afrontam contra leis e valores”


Crédito da Foto: Eduardo Maia
 
O deputado estadual Jacó Jácome (PSD) repudiou, no plenário da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (11), o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) e o Banco Santander, em razão de recentes exposições promovidas pelos mesmos com, segundo ele, interação de nudez masculina e apologia à pedofilia, respectivamente. De acordo com o parlamentar, as duas iniciativas afrontam valores morais e a legislação vigente.

“A arte não pode ser pretexto para que a dignidade da criança e do adolescente seja abusada. O que se viu foi um claro afrontamento ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e ao Código Penal, além da promoção de conteúdo que confronta a ideia de família e princípios bíblicos”, declarou Jacó Jácome em seu pronunciamento no legislativo estadual.

As exposições que motivaram a fala do deputado foram a 35ª edição do “Panorama da Arte Brasileira”, realizada no MAM, em São Paulo, e a “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, promovida pelo Santander, na cidade de Porto Alegre. Como explicou Jacó Jácome, na primeira, crianças eram estimuladas a tocar um artista nu. Na segunda, obras retratavam cenas de pedofilia e faziam apologia à prostituição infantil.

O parlamentar disse ainda que iniciou a coleta de assinaturas contra as duas iniciativas. Apenas na Igreja Evangélica de Madureira, citada por ele, 225 pessoas assinaram o documento. Jacó Jácome explicou que a atitude adotada por ele vai de encontro com o pensamento de famílias e igrejas país afora, que “não vão admitir o uso de recursos públicos para comprometer o futuro de crianças e adolescentes de todo o Brasil”.

Nenhum comentário