A cada dez minutos, uma menina morre vítima da violência

Segundo a Unicef, a violência afeta desproporcionalmente as meninas (Foto: Unicef/Shehzad Noorani)

Nesta quarta-feira, 11, celebra-se o Dia Internacional da Menina. Criada em 2012, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a data visa alertar para os desafios enfrentados por meninas de todo o mundo e aprimorar o acesso delas aos seus direitos em questões de alimentação, educação e no combate ao casamento infantil e à mutilação genital feminina.

Este ano, o Unicef lembrou a data divulgando um vídeo no qual alerta que, a cada dez minutos, uma menina morre no mundo vítima da violência. Segundo um levantamento divulgado em 2016, pelo Unicef, cerca de 535 milhões de crianças vivem em regiões afetadas por conflitos, desastres naturais, sem acesso à educação, proteção ou cuidados médicos. Deste total, um terço (393 milhões), vive na África Subsaariana. Ainda segundo o relatório, há no mundo cerca de 50 milhões de crianças “desenraizadas”, deslocadas ou expulsas de seus lares por conflitos.

Segundo Leila Pakkala, diretora do Unicef para o Leste e Sul da África, as meninas são as maiores vítimas da violência. “Em períodos de emergência e crise, a violência sexual afeta desproporcionalmente as meninas, que enfrentam alto risco de abusos, exploração e tráfico de menores”, diz Pakkala.

Pakkala ressalta que em situações de conflito, as meninas têm 2,5 vezes mais possibilidades de serem retiradas do colégio. Segundo a diretora, em países como o Sudão do Sul ou a Somália existem “milhões de meninas que continuam com seus direitos básicos negados”. No caso do Sudão do Sul, a instabilidade no país intensificou o nível de violência física contra meninas.

O vídeo divulgado nesta quarta-feira, em homenagem à data, mostra meninas de diferentes países dublando a música “Freedom”, da cantora pop americana Beyoncé, cuja letra exalta a luta pela liberdade. A sincronia das meninas com a música, somada à interpretação da letra causam um forte impacto.

Ao longo do vídeo frases como “Uma em cada quatro meninas no mundo casa ainda criança”, “71% das vítimas do tráfico de pessoas são meninas”, “63 milhões de meninas já foram submetidas à mutilação genital feminina”, “130 milhões de meninas estão fora da escola” e “meninas têm duas vezes mais chance de serem infectadas pelo HIV”. O vídeo finaliza alertando que meninas por todo o mundo lutam por sua liberdade diariamente.

opiniãoenotícia.com.br

Nenhum comentário