Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão


O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral foi condenado na última quarta-feira, 20, a 45 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa investigados no âmbito da Operação Calicute, um desdobramento da Operação Lava Jato.
Na sentença, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, afirmou que “o condenado Sérgio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema”.
A mulher do ex-governador, Adriana Ancelmo, também foi condenada no mesmo processo. A ex-primeira-dama foi sentenciada a 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e de pertinência à organização criminosa.
O Ministério Público Federal aponta o desvio de milhões de reais de contratos do governo do estado do Rio a partir de 2007, quando Cabral assumiu o cargo. Além disso, a força-tarefa da Lava Jato apontou fraudes sobre as obras de urbanização em Manguinhos, construção do Arco Metropolitano e reforma do estádio do Maracanã para a Copa de 2014.
Trata-se da segunda condenação de Cabral, que está preso desde novembro do ano passado. O ex-governador também foi condenado a 14 anos e dois meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa pelo juiz federal Sérgio Moro.

Nenhum comentário