Sala de Exposições com artefatos históricos de Extremoz é aberta à população



A população de Extremoz e quem visita a cidade agora tem a oportunidade de fazer uma verdadeira viagem na História. A Prefeitura inaugurou, durante a abertura da Semana do Agosto da Cultura, iniciada  dia 28 do mês passado, a Sala de Exposições, na Fundação Aldeia do Guajiru. O local contém objetos que datam dos séculos XVIII e XIX e que fazem parte da história da cidade.

Na sala de exposições os visitantes podem ver as canoas indígenas Extremoz I e II, que foram encontradas em 2013 no fundo da Lagoa, quando o nível da água baixou em razão da seca. Estima-se que a primeira canoa tenha 270 anos e a segunda 210 anos.

O sino com brasão de Portugal, possivelmente o último usado na antiga Igreja de São Miguel Arcanjo, também está em exposição para os visitantes. Além disso, a pedra da fundação da antiga cadeia de Extremoz, cópias de documentos históricos, fotos antigas, as correntes encontradas com as canoas, pedaços de louças e cerâmicas portuguesas e francesas dos séculos XVIII e XIV, chaves antigas, pontas de lanças, entre vários outros artefatos históricos.

“Extremoz tem uma riqueza histórica preciosa. A população almejava ter acesso a tudo isso e a Prefeitura, através da Fundação de Cultura, vem atender a esse anseio. É importante este resgate religioso, histórico e cultural, pois assim conseguimos tirar das páginas dos livros e dar a visibilidade devida aos fatos. Isso ressalta a importância que o nosso município tem desde o período da colonização para o Estado do Rio Grande do Norte”, disse a presidente da Fundação de Cultura, Elane Ferreira.
 
A Fundação Aldeia do Guajiru fica localizada ao lado das ruínas da Igreja de São Miguel Arcanjo, local que conta muito sobre a passagem dos jesuítas em terras potiguares e que foi considerado pelo historiador Luís da Câmara Cascudo como a mais bela igreja colonial do Rio Grande do Norte. Perto das paredes da igreja é possível ver ainda as ruínas da casa dos jesuítas, o pelourinho e o cruzeiro, símbolo do cristianismo.
  
A Sala de Exposições fica aberta permanentemente para a população em geral. Escolas e outras instituições precisam fazer um agendamento através do telefone (84) 99432-8338. O horário de funcionamento da Fundação é das 9h ao meio dia e das 14h às 17h.






Fotos: Canindé Santos

Nenhum comentário