“Grito das Facções”: Rogério Marinho convoca sociedade para ato em defesa do emprego no RN


O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) estará presente na Câmara Municipal de São José do Seridó neste sábado (16), para participar de uma audiência pública intitulada “O Grito das Facções”. O debate será em torno da ação do Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o Programa de Interiorização da Indústria (Pró-Sertão), criado pelo parlamentar durante sua passagem pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, em 2013.

“A sociedade precisa estar presente, precisa reagir, quem quer empreender, trabalhar, ter o seu sustento, precisa resistir contra esse autoritarismo, prepotência, arrogância, de quem se acha dono do trabalhador, das vontades do trabalhador, como se soubesse o que é melhor para todos. Este é um ataque direto ao nosso Estado. O resultado dessa ação é o fim do mais importante programa de geração de emprego e renda do RN, que já poderia ter sido multiplicado por 7 ou 10 não fosse o MPT”, disse Rogério Marinho.

O Pró-Sertão já gerou mais de 3 mil empregos em diversas cidades do interior potiguar, em especial na região do Seridó, onde estão concentradas a maior parte das pequenas facções. Desde a sua implantação, o programa conta com a parceria da Guararapes, gigante do setor têxtil, que corre o risco de ser multada em R$ 38 milhões – caso a ação movida pela procuradora Ileana Neiva, do MPT, seja aprovada – por contratar por meio do projeto.

Ainda de acordo com Rogério, “o MPT é um órgão respeitável e de importante função, mas precisa cumprir a sua missão que é fiscalizar a aplicação da lei, e não se prestar a um serviço de funções ideológica e doutrinária”.

São José do Seridó, cidade que sediará “O Grito das Facções”, possui hoje um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Rio Grande do Norte, bem como baixa taxa de criminalidade, em virtude da geração de emprego e renda pelas facções de costuras, que através do Pró-Sertão, prestam serviço a grandes fábricas, como a Guararapes.

Nenhum comentário