Alunos da Escola Adelle de Oliveira representam Ceará-Mirim em Movimento Científico no Maranhão


Três alunos, estudantes do 9º ano da Escola Municipal Adelle de Oliveira, município de Ceará-Mirim/RN, tiveram o projeto indicado para o VIII Movimento Científico Norte Nordeste – MOCINN 2017, que acontece no período de 26 a 30 de setembro, na cidade de Imperatriz/MA.
Jordana Sara Silva dos Santos, Thalita Conceição de França Ferreira e Eduardo Murilo Pinto Taborda, todos com 14 anos, acompanhados dos professores, o orientador Laecio Luiz de Oliveira e a coorientadora Rosângela Maria de Moura Silva, embarcaram na tarde desta segunda-feira (25), no Aeroporto Aluízio Alves, com destino ao Maranhão, onde apresentam o projeto intitulado “Memórias Adelle de Oliveira: Resgatando Vida e Obra da Autora.  O mesmo foi aprovado como finalista, avaliado e credenciado a participar do evento, competindo com outros 70 trabalhos selecionados de instituições de todas as regiões do Brasil e de outros países
“A ideia de pesquisar sobre Adelle de Oliveira, surgiu durante as aulas de história, que despertaram um interesse maior dos estudantes, em saber mais sobre a vida da patrona da escola, considerada a maior poetisa de Ceará-Mirim”, disse o professor da disciplina, Laecio Luiz, ao falar com orgulho dos três alunos. “Eles foram muito empenhados e comprometidos durante todo o processo de construção do projeto e foi essa dedicação que resultou na indicação para o MOCINN”, ressalta.
O ambiente escolar foi o primeiro cenário inserido na metodologia pensada para contextualizar a pesquisa, buscando o maior número possível de informações, colhidas na Biblioteca Pública Dr. José Pacheco Dantas e através de depoimentos de pessoas que conviveram com Adelle, ou sabiam de algo ao seu respeito, como o historiador Franklin Marinho e pesquisador Gibson Machado.
Antes de embarcar a coorientadora Rosângela Moura, resumiu a importância do apoio do prefeito Marconi Barretto, por oportunizar a participação dos estudantes no Movimento Científico que se caracteriza como um momento muito especial para os estudantes que estão se destacando mesmo sendo de uma escola pública.
Orgulho para a nossa cidade termos esses jovens iniciando no Movimento Científico, um evento tão importante! Esse é o primeiro de muitos que virão, não apenas com eles, mas com outros que percebem que a educação pública não é especulação: ela acontece é no chão das escolas. Estou feliz por participar de um cenário de gestão que incentiva, apoia e valoriza essas ações. Parabéns aos pais e professores incentivadores. Isso sim é construção do conhecimento”, enfatiza a secretária municipal de Educação Básica, Cleoneide Maciel.

BREVE RESUMO - ADELLE DE OLIVEIRA
A poetisa cearamirinense Adelle Sobral de Oliveira, filha do casal Ana Sobral de Oliveira e João Henrique de Oliveira, nasceu em Villar, um lugarejo do município de Ceará Mirim, no Rio Grande do Norte, em 22 de maio de 1884.
Por volta de 1889, com cinco anos, foi com as duas irmãs Anita e Maria Tereza e os pais para Belém do Pará, onde seu pai decide ir em busca da riqueza regional, decorrente do ciclo da borracha.
Já com quinze anos, em 1899, voltou para Ceará Mirim, quando seu pai, vitimado por uma das agressivas doenças tropicais, decide que regressarão para o Vale na esperança de cura e de uma vida normal.  Porém, o avançado estágio da doença e seu debilitado estado geral de saúde fazem com que ele venha falecer durante a viagem de navio e seja sepultado, para a tristeza de Ana, mãe de Adelle, nas profundezas do oceano.  Em Ceará-Mirim, órfã, e sem mesmo um corpo para enterrar, sem um túmulo onde rezar e depositar flores, a família é acolhida com carinho no engenho O Cumbe e na ampla casa da rua São José, pelos padrinhos de Adelle, Ângelo Varella e Maria Augusta.
Por volta dos anos de 1960, Adelle de Oliveira organiza seus jornais, manuscritos, cartas, poesias, documentos e até, quem sabe, cartilhas e anotações do externato, e os entrega a sua amiga íntima, Nestorina, com recomendações para que a amiga queimasse tudo após a sua morte. A amiga não cumpre a promessa e, alguns anos após a morte de Adelle, entrega o material ao advogado e escritor Ciro José Tavares, que organiza os poemas e publica em livro.
Podemos ainda acrescentar aos dados conhecidos sobre Adelle de Oliveira que ela faleceu no dia 15 de agosto de 1969, aos 85 anos, em Ceará Mirim, sem o menor sofrimento, no momento em que fazia a refeição do meio dia, na tosca mesa da cozinha da modesta casa da Rua Grande, ao lado de sua maior amiga e confidente, Virgínia, a Vigo, filha órfã de escrava que a mãe de Adelle, Ana, ao regressar de Belém, tomou como filha

ADELLE DE OLIVEIRA: RETALHOS DE SONHOS (1900-1940) Edna Maria Rangel de Sá Gomes(UFRN)

Nenhum comentário