Museu do RN recebe prêmio de tecnologia social


Fazer o levantamento de projetos sustentáveis que possam ser replicados nas comunidades é o objetivo do Prêmio Banco do Brasil de Tecnologia Social. O Museu Nísia Floresta, localizado a 35 km de Natal, foi uma das 173 iniciativas brasileiras que receberam certificação. Selecionado como único projeto do Rio Grande do Norte nessa edição do Prêmio, o museu foi inscrito na categoria Educação e funciona como um espaço de memória comunitária a partir da articulação de escolas públicas, grupos culturais e a população do município.

Semanalmente o museu Nísia Floreta recebe alunos, grupos culturais e comunitários, além de realizar atividades de capacitação e discussão de políticas públicas voltadas para a memória, cultura e educação. Com o tema ‘Museu Comunitário: Memória, Educação e Cidadania’ a iniciativa selecionada é desenvolvida dentro de uma perspectiva da articulação dos campos da educação e da cultura, de implementação da educação integral, da formação para a cidadania, respeito à diversidade e acesso ao processo de produção dos bens culturais.

A proposta do Museu como espaço vivo da memória contribui com a valorização do patrimônio cultural, a construção de uma sociedade democrática, baseada no respeito às diferenças, na igualdade de gênero; bem como com o fortalecimento da identidade e o desenvolvimento local e sustentável.

A Tecnologia Social do Museu Comunitário tem muito a contribuir em contextos em que é comum: a existência da baixa qualidade de ensino, onde o patrimônio cultural, a memória e a história não são valorizados e em locais que existem situações de vulnerabilidade social.

O Museu de Nísia Floresta é uma iniciativa do CECOP – Centro de Documentação e Comunicação Popular, uma Organização da Sociedade Civil sem Fins Lucrativos que funciona desde 2012. Na implantação o museu contou com os recursos de um Prêmio do Ministério da Cultura / IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e o IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus.

O Museu conta com a parceria da Secretaria Estadual de Educação e da Cultura do RN, da Paróquia Nossa Senhora do Ó, Prefeitura Municipal de Nísia Floresta, do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Nísia Floresta.

A CERTIFICAÇÃO

Foram inscritas nesse Prêmio 735 iniciativas e 173 foram consideradas aptas a receber a certificação no ano de 2017. Esta é a nona edição da premiação, que tem o objetivo de levantar projetos sustentáveis que possam ser reaplicados em diversas comunidades.

A triagem foi realizada por uma comissão composta pela equipe técnica da Fundação BB, que obedeceu aos critérios do regulamento para chegar às propostas selecionadas. Dentre os requisitos solicitados estavam: o tempo de atividade, as evidências de transformação social, a sistematização da tecnologia, a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades, e o respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica.

As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais, das quais foram validadas 15 tecnologias na categoria Agroecologia, 27 em Água e/ou Meio Ambiente, 11 em Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, 40 em Economia Solidária, 52 em Educação e 16 em Saúde e Bem Estar. Na categoria internacional foram classificadas 12 propostas.
Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. O BTS é uma base de dados online, que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. Neste banco, todas as tecnologias sociais podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, dentre outros parâmetros de pesquisa. Para consultar o banco basta acessar o endereço eletrônico: tecnologiasocial.fbb.org.br. Também é possível consultar este banco de dados por meio do aplicativo de celular "Banco de Tecnologias Sociais", disponível para aparelhos Android e IOS.

A próxima etapa do Prêmio está prevista para o dia 15 de agosto, com a divulgação dos projetos finalistas. Já as propostas vencedoras serão anunciadas na cerimônia de premiação, em novembro.Neste ano, a Fundação BB irá premiar com R$ 50 mil cada uma das seis iniciativas vencedoras nas categorias nacionais, além da entrega de um troféu e a produção de um vídeo retratando as iniciativas das 21 instituições finalistas nacionais e das três finalistas internacionais.

Esta edição tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Nenhum comentário