Cristiane Dantas anuncia criação da Frente Parlamentar da Mulher


A deputada Cristiane Dantas (PCdoB) anunciou que será criada na Assembleia Legislativa a Frente Parlamentar da Mulher. O objetivo é concentrar esforços nas discussões e ações práticas das questões que envolvem os direitos das mulheres, seja no combate à violência e na ampliação do acesso à saúde e mercado de trabalho.

“Nosso mandato já tem parceria com vários órgãos, instituições e representantes da sociedade civil que certamente irão contribuir muito com esse trabalho. Todos que vierem serão muito bem-vindos”, disse Cristiane Dantas, que participou, na Câmara Municipal de Natal, do lançamento da Frente Parlamentar de iniciativa da vereadora Eudiane Macedo (Solidariedade).
Em seu pronunciamento durante a sessão plenária desta quinta-feira (6), a parlamentar fez o anúncio e convidou as colegas Larissa Rosado (PSB) e Márcia Maia (PSB) para integrarem a Frente, além dos deputados que desejarem participar.

Cristiane Dantas comemorou a aprovação, pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal de projeto de lei que torna imprescritível o crime de estupro contra a mulher, que ainda irá entrar na pauta de votação do Congresso Nacional. A deputada aproveitou para pedir apoio da bancada federal potiguar na aprovação da matéria. “Essa causa certamente será mais uma arma contra a impunidade desses atos de covardia”, disse.

A deputada citou ainda o recente caso de assédio sexual praticado pelo ator José Mayer, que virou notícia nacional, ganhou grande repercussão em todo o País e inspirou a campanha “Mexeu com uma, mexeu com todas”. Cristiane afirmou que os assédios muitas vezes são os primeiros passos para um estupro e começam “sob a fachada de elogios e cantadas”.

Lembrou que muitas meninas, por medo e por se sentirem desamparadas, não denunciam os agressores, só tendo coragem para denunciar quando se tornam adultas. Cristiane Dantas citou o exemplo da nadadora pernambucana Joana Maranhão, vítima de estupro na infância pelo próprio treinador, que só denunciou após o crime ter prescrito.

Nenhum comentário